Publixer Magazine| Home
A doce subversão de Tarantino

A doce subversão de Tarantino

0 Comentários 🕔13.ago 2019
Uma das cenas impagáveis que não podem faltar em um filme de Tarantino

Por conta do convite do BC Shopping/GNC fomos assistir a pré-estreia de Era Uma Vez em Hollywood, o mais novo filme de Quentin Tarantino. Um longa de praticamente três horas de duração que mostra um Tarantino mais evoluído, irresponsável e cada vez mais distante do apelo da violência.

Diretor contou com o talento de Di Caprio e Pitt

Apoiado em dois talentos indiscutíveis que são Leonardo Di Caprio e Brad Pitt, o diretor coloca os dois personagens – um esforçado ator de western, sempre vilão e seu dublê – na inusitada vizinhança (de portão) da casa Roman Polanski no fatídico 1969. Justamente no ano da tragédia protagonizada por parte da “família Mason” que resultou na morte da atriz Sharon Tate.

Porém, Tarantino não esboça qualquer sinal que venha resultar no envolvimento dos personagens com a vizinhança. Pelo contrário. Na monotonia genial do diretor, os personagens são construídos, assim como as cenas memoráveis que não podem faltar em uma película de Tarantino. Ah, não esquecendo da trilha escolhida sempre de bom gosto.

Na sua irresponsabilidade, Tarantino é capaz de subverter os fatos que contaram a história da morte de Tate (grávida) e amigos (Polanski não estava em casa) no seu final. Sim, cenas finais com direito a violência sem pudor, mas que deixa a sensação de um faz de conta digno de “era uma vez”.

Artigos semelhantes

Os últimos soldados da guerra fria

Os últimos soldados da guerra fria 0

  O livro é melhor que o filme, quem já não ouviu essa frase? E geralmente

Um road movie pelo deserto

Um road movie pelo deserto 0

  Basta se apresentar como um road movie para despertar o interesse de como será a

Muita política conduz a Sérvia na pandemia

Muita política conduz a Sérvia na pandemia 0

Imagens vindas da Sérvia deixa o público ocidental curioso, afinal o "que se passa" na

Neil Young eterno (ou) mais um álbum resgatado

Neil Young eterno (ou) mais um álbum resgatado 0

  Neil Young é um cara fantástico. Sua razão de viver é a música. Quem leu

Abaixo o simbolismo! Viva o sistema!

Abaixo o simbolismo! Viva o sistema! 0

O assassinato covarde de George Floyd reacendeu o sentimento de revolta que levou milhares de

Sobre o autor

Bola Teixeira

Bola Teixeira

Jornalista, amante de blues e do bom e velho rock and roll, sediado em Balneário Camboriú - SC, mas com os olhos e ouvidos abertos para os acontecimentos do mundo.

Ver mais artigos 🌎Visitar o site Envie um e-mail

Sem comentários

Nenhum comentário.

Ninguém deixou um comentário neste artigo.

Deixe um comentário


Warning: Illegal string offset 'rules' in /home/storage/d/8a/f8/garfada/public_html/publixer/wp-content/themes/piccione-theme/functions/filters.php on line 157

Warning: Illegal string offset 'rules' in /home/storage/d/8a/f8/garfada/public_html/publixer/wp-content/themes/piccione-theme/functions/filters.php on line 158
<

11 + 3 =